sexta-feira, 29 de maio de 2009


Ministério da Saúde discutirá no início de agosto a sua política de humanização dos serviços com base em experiências exitosas.
Excelente iniciativa para combater um dos grandes nós do SUS, a humanização do atendimento.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Reflexões sobre mediação de conflitos


A mediação é um processo orientado a conferir às pessoas nele envolvidas a autoria de suas próprias decisões, convidando-as à reflexão e ampliando alternativas.

É não adversarial, dirigido à desconstrução dos impasses que imobilizam a negociação, transformando um contexto de confronto em contexto colaborativo.

Momento confidencial e voluntário no qual um terceiro imparcial facilita a negociação entre duas ou mais partes, onde um acordo mutuamente aceitável pode ser um dos desfechos possíveis.

A definição do processo de mediação de conflitos está diretamente relacionada à orientação teórica (BREITMAN, 2001).

segunda-feira, 25 de maio de 2009

A bela Russas, no Ceará

Amigos da cidade de Russas, do interior cearense, criaram uma comunidade que congrega boas pessoas para conversar sobre bons assuntos, a Página Russana.
Dentre outros assuntos, falam sobre a bela cidade.
Eis uma foto e algo sobre a mesma, informações que tem como fonte a própria página.

IMAGEM DA AVENIDA DOM LINO, RUSSAS.
"Lino Deodato Rodrigues de Carvalho nasceu em Russas no ano de 1826, ordenou-se em Recife e voltou para sua terra natal no ano de 1850 onde, além de missas, era professor da Escola Pública.
Em 1860 passou a Vigário, onde implantou o primeiro projeto urbanístico e ambiental, com arborização nas praças e ruas de Russas com nossa árvores nativas.
Foi Deputado Estadual por Russas onde tinha voz altiva e respeitada por seu elevado grau de conhecimento e poder de argumentação sempre na defesa do Estado do Ceará.
Foi nomeado 8º Bispo de São Paulo e deixou sua terra no ano de 1873, no entanto, ainda deixando erguidas a igreja de São Sebastião em Russas, e as igrejas matrizes de Quixeré e Palhano.
Hoje, nossa principal Avenida leva seu nome, para prestigiar e não deixar que se apague a memória de tão notável russano."

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Curso de Gestão em Ouvidorias


Os que fazem ouvidoria já sabem da escassez de atividades de formação e capacitação, poucos e de qualidade duvidosa são algumas da oportunidades que aparecem. Contudo, boas oportunidades sempre surgem, é o caso deste evento, oferecido pela entidade de renome nacional, o Instituto Pró-Cidadania.
Este curso, que acontece entre 3 e 5 de junho, visa apoiar a implantação e a gestão de Ouvidorias, dentro de um modelo capaz de proporcionar maior participação dos diversos segmentos da sociedade na gestão pública e melhorias no atendimento às questões e demandas pertinentes à promoção da eqüidade social.
O conteúdo programático decorre do entendimento de que uma Ouvidoria é um serviço oferecido à população para que a mesma possa se manifestar fazendo críticas, oferecendo sugestões ou mesmo elogiando o desempenho de órgãos públicos, contribuindo dessa forma para o fortalecimento da cidadania e a melhoria da qualidade dos serviços prestados pelo seu respectivo órgão. Informações adicionais no link do evento:
http://www.procidadania.org.br/eventos/curso_gestaoouvidorias/index.php

Mais uma vantagem sobre os homens: Cérebro da mulher muda quando ela se torna mãe

Novas conexões entre os neuronios explicam o fascinante instinto maternal.
O amor incondicional da mãe pelo filho desperta a curiosidade.
A força destes sentimentos, inclusive, motivou os pesquisadores a descobrir o que está envolvido na relação: segundo eles, após se tornar o mãe, a mulher apresenta alterações no cérebro, que se adapta para viver um novo tipo de amor.
De acordo com o neurologista Ricardo Teixeira, acontece um deslocamento do eixo de preocupações de uma mulher, fazendo que suas próprias necessidades passem a se concentrar também no cuidado e bem-estar dos filhos. "O cérebro materno é, por definição, um modelo espetacular do fenômeno de neuroplasticidade, que é a capacidade do cérebro em criar novas conexões em resposta a um estímulo", explica o especialista.
O especialista explica que essa transformação acontece devido a estímulos próprios da maternidade, como a amamentação. "Pesquisas apontam que não só as alterações hormonais, mas também o ambiente rico em estímulos associados à maternidade, com múltiplas tarefas, sons e cheiros totalmente novos têm um papel importante nesta adaptação", afirma Ricardo Teixeira.

sábado, 16 de maio de 2009

Ouvidoria em Juazeiro do Norte/CE

Já em funcionamento a Ouvidoria-Geral do Município de Juazeiro do Norte, que funciona com total apoio do jovem gestor municipal, Dr. Santana. O trabalho daquela ouvidoria já acontece e as manifestações já são registradas, muitas delas via web, através do site da Prefeitura Municipal.
Vale a visita para conhecer mais esta experiência que contribui para o crescimento e fortalecimento do instituto ouvidoria.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Chuvas continuam


Mesmo com o Sol aparecendo neste final de semana, continuam as fortes chuvas em todo estado do Ceará. No boletim da FUNCEME, divulgado na manhã desta segunda, 11, o município de Reriutaba recebeu com 180 milímetros, seguido de Morada Nova, 139 milímetros; Cariré, 124 milímetros; Graça, 116 milímetros; São Benedito, de 113.4 milímetros; Tamboril, 110 milímetros; Ibicuitinga, 109 milímetros; e Jaguaretama, 104 milímetros. Os níveis dos reservatórios d'água continuam subindo, o que deixa alerta a Defesa Civil do município de Sobral e todo estado. A perspectiva é que o volume das chuvas possam diminuir nos próximos dias, contudo é humanamente impossível fazer qualquer tipo de previsão. Certo mesmo, é ter fé e pedir ao Pai Criador que dê um refresco e nos permita um maio mais enxuto.
FOTO: Rubens Lima

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Farra das passagens, por Luis Carlos Prates

O que o Jornalista (com J maiúsculo) disse nesse vídeo, seja talvez a grande verdade que todos nós brasileiros precisamos ouvir. Duvida? pois ouça e tire suas próprias conclusões...
http://www.youtube.com/watch?v=44aF2gfrhVI&feature=related

quinta-feira, 7 de maio de 2009

III Encontro do Fórum Cearense de Ouvidorias

Aconteceu dia 06, quarta-feira, o III Encontro do Fórum Cearense de Ouvidorias do SUS.
De acordo com o núcleo articulador do Fórum, o espaço irá discutir os rumos da política de ouvidorias em saúde no estado e devem fazer parte da lista de convidados nomes como
Dr. Adalberto Fulgêncio, Diretor do Departamento de Ouvidoria-Geral do SUS, Ministério da Saúde, Dr. João Ananias Vasconcelos Neto, Secretário da Saúde do Estado do Ceará, Dr. José Policarpo Barbosa, Presidente do COSSEMS/CE, além de representantes de municípios cearenses.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

As melhores informações sobre Gripe suína, ou Tipo A

O mundo inteiro está alerta para o risco de uma nova pandemia.
Nesse instante, o cerne humano tende a buscar cada vez mais informações, até como um mecanismo de defesa e a assombrosa cobertura da mídia.
O blog do Ouvidor sabe que na função que ocupamos, o profissional necessita estar bem informado. Pensando nisso, disponibilizo um artigo escrito pelo zelador do Blog Rainha Vermelha, Atila Iamarino, que também é biólogo e doutorando em evolução de HIV-1.
Ele traz detalhes sobre a doença dificilmente encontrados num único material, com uma linguagem simples sem deixar de lado o teor científico.
Recomendo a leitura!

FOTO: VÍRUS DA INFLUENZA

O que você precisa saber sobre a gripe suína

1 - O que é o vírus da gripe e o que quer dizer H1N1:
2 - Qual o perigo de um vírus diferente?
3 - E como é o vírus suíno?
4 - Por que a gripe suína é perigosa?
5 - Como está a situação atual?
6 - Qual o risco de uma pandemia?
7 - Quais defesas nós temos contra o vírus?
8 - Atitudes individuais que podem ajudar.

1 - O que é o vírus da gripe e o que quer dizer H1N1:

Existem 3 tipos de influenza, o vírus que causa a gripe, o A, B e C. O influenza A é o mais variável e que causa mais estragos todos anos. Ele tem 8 pedaços de RNA (RNA mesmo, não é DNA) dentro de uma cápsula. Duas proteínas deles são mais importantes para entendermos. Uma é chamada de Hemaglutinina, fica do lado de fora do vírus e serve para fazer contato com a célula. Como ela se liga em células, quando o colocam o vírus em uma gota de sangue, os glóbulos vermelhos ficam aglutinados (hemo aglutinina, hemaglutinina). A outra é a Neuraminidase, ela quebra os açúcares onde a hemaglutinina se liga para liberar os vírus recém formados.

Como a hemaglutinina e a neuraminidase ficam para fora do vírus, são as proteínas mais reconhecidas por anticorpos e usadas nos testes de diagnóstico. Por isso as linhagens de influenza são nomeadas pelas letras HN, como H1N1, H3N2, de acordo com o tipo de cada uma.

São conhecidos 16 tipos de Hemaglutinina e 9 de Neuraminidase. Só alguns são frequentes em seres humanos, H1, 2 e 3 e N1 e 2. Todos os outros são encontrados em aves aquáticas, principalmente patos, que são o reservatório natural do Influenza A. As aves migratórias misturam os vírus em escala mundial pois nelas a gripe não causa sintomas, e infecta o sistema digestivo ao invés do respiratório. Quando param em lagos para comer durante a migração, defecam e a água fica forrada de influenza. Num lago com água fria o vírus chega a durar 30 dias. Os mais perigosos, que matam mais galinhas e pessoas quando transmitidos, são os H5 e H7. [1]

2 - Qual o perigo de um vírus diferente?

O motivo para não sermos imunes ao influenza A depois de uma gripe é que o vírus muta muito [2]. Dois fenômenos são importantes, o drift, onde o vírus acumula pequenas mutações nos genes H e N, suficientes para no ano seguinte nosso sistema imune não reconhecer o vírus. Mais importante (e mais frequente do que se imaginava) é o shift. O shift acontece quando dois influenza diferentes entram na mesma célula e ao saírem misturam seus cromossomos, e dos oito pedaços que levam, alguns são do vírus x e outros do y. Quando isso acontece, o vírus muda abruptamente e nosso sistema imune fica completamente despreparado. É o que faz com que vacinas falhem. Na verdade, existe um atraso entre coletar o vírus e produzir a vacina, de maneira que todo ano temos que estudar o vírus e tentar prever qual vai ser a forma mais importante na epidemia.

As maiores epidemias recentes de gripe ocorreram quando houve rearranjo entre o vírus humano e o vírus aviário, como na gripe asiática de 1957 (H2N2) e Hong Kong 1968 (H3N2). o vírus da gripe espanhola, é H1N1 e aparentemente saltou direto dos patos para o ser humano, sem rearranjo [3]. Quem intermedia o rearranjo, contraindo o vírus humano e aviário? Os porcos e galinhas.

Isso explica porque a maioria das pandemias de gripe começa na Ásia. Imagine mercados populares lotados de gente, onde se vendem em barracas patos, patos selvagens, galinhas, gansos e porcos. Soma a isso a técnica de alimentação dos porcos, onde eles colocam a gaiola dos patos e das galinhas em cima da dos porcos, e dão comida apenas para as aves. Isso gera as condições ideais para o surgimento de vírus aviários infectando humanos.

3 - E como é o vírus suíno?

O vírus mais comum em porcos é o tipo H1N1. São várias linhagens diferentes circulando na Europa, Ásia e nas Américas, e nenhuma delas é próxima da linhagem da Gripe Espanhola.

Este vírus que infectou pessoas no México e na Califórnia foi sequenciado por uma equipe canadense, e foi descrito pelo CDC aqui. Segundo o CDC, a Hemaglutinina e alguns outros genes são próximos dos vírus que normalmente circulam nos EUA, mas a Neuraminidase e outro gene são de linhagens européias e asiáticas, além de um gene parecido com o influenza humano, o qué é novo. Em local nenhum no site do CDC encontrei referências a algum gene ser próximo do H5N1, causador da Gripe Aviária, nem nada que diga que este vírus é próximo do da Gripe Espanhola.
[update] O vírus H1N1 é um rearranjo de duas cepas suínas, uma que circula nas Américas e outra que circula na Europa. Não há genes do vírus aviário ou de alguma cepa humana.

4 - Por que a gripe suína é perigosa?

Os porcos e as aves domésticas são os "atravessadores" dos vírus que circulam em aves migratórias para os seres humanos. Por isso os vírus que eles nos transmitem são perigosos, por serem muito diferentes do que nosso sistema imune encontra normalmente. Além de poderem ser um ponto de rearranjo entre um vírus diferente e um vírus adaptado ao ser humano.

Aparentemente, o que impede o H5N1 (Gripe Aviária) de ser transmitido de humanos para humanos, é o receptor celular que o vírus usa. Até hoje, H5N1 só foi transmitido de aves para seres humanos (uma possível exceção é uma transmissão entre mãe e filha, mas o contato entre elas foi intenso) porque o vírus infecta melhor o sistema respiratório e digestivo das aves do que o humano.

O perigo é que, as células do sistema respiratório dos porcos são mais parecidas com as nossas, de forma que um vírus adaptado ao porco teoricamente pode ser transmitido entre humanos do que um vírus aviário. [4]

Outro fator preocupante é que o vírus da gripe suína atual tem infectado principalmente jovens. Normalmente, crianças e idosos sofrem de gripe. O padrão de vírus agressivo que ataca jovens, com o sistema imune bem saudável, lembra muito o da Gripe Espanhola de 1918.

5 - Como está a situação atual?

Nos Estados Unidos, até agora (25/04/2009) foram confirmados 11 casos, todos de gripe forte, mas nenhum fatal.

Já no México, são três eventos separados:
Um começa em 18 de março no Distrito Federal do México, a capital do apís, e até 23 de abril são mais de 850 casos de pneumonia, dos quais 59 morreram.

Em São Luis Potosi, região central, são 24 casos com 3 mortes.

Em Mexicali, próximo dos EUA, são 4 casos e nenhuma morte.

6 - Qual o risco de uma pandemia?

Este não é o primeiro surto de Gripe Suína. O surto mais importante aconteceu em Fort DIx, um acampamento militar americano, em 1976, e ensinou uma grande lição para as entidades de saúde. Na época, esperava-se um grande surto de Influenza, e tudo indicava que o vírus da gripe suína que estava atacando os jovens militares poderia ser o responsável. A pressão de 500 pessoas doentes e uma morte fez com que decisões erradas fossem tomadas, e iniciou-se uma vacinação em massa nos EUA com consequências drásticas. Recomendo a leitura do livro A Próxima Peste, de Laurie Garret, que explica em detalhes esta ocasião.

O ponto é, a OMS (Organização Mundial de Saúde), órgão responsável entre outras coisas por monitorar surtos de gripe pelo mundo, não trabalha com SE teremos uma pandemia de gripe, trabalha com QUANDO teremos. Com o tamanho de população que atingimos, e a facilidade de transporte que temos atualmente, é muito provável que uma linhagem perigosa de influenza cause um grande estrago. Seja essa pandemia causada pelo vírus da gripe aviária, suína ou qualquer outro.

Aqui uma parte nada animadora da lista de 10 itens sobre a Pandemia de Gripe da OMS:

Estamos à beira de um surto. Todos os países serão afetados. Os suprimentos médicos serão inadequados. Vão ocorrer muitas mortes. O rompimento econômico e social será enorme.

A OMS tem uma escala de alerta mundial que vai de 1 a 6 , 1 tudo tranquilo, não existe nenhuma doença perigosa, 6 fudeu tudo a coisa está complicada, a pandemia está correndo solta. Estamos no estágio 3, existe uma doença mas por enquanto não circula por contágio pessoa a pessoa. Ainda não houve motivos suficientes para passarmos para o nível 4, onde há transmissão entre humanos frequente.

7 - Quais defesas nós temos contra o vírus?

Existem poucos remédios antivirais porque os vírus usam as células para se reproduzir, possuem pouca coisa própria, ao contrário das bactérias. No caso do influenza, existem os inibidores da neuraminidase, que impedem o vírus de se liberar da célula, como a Amantadina e o Tamiflu. Mas, o vírus muta e desenvolve resistência facilmente a essas drogas, e não se sabe qual a facilidade disso acontecer com o H1N1.

A linhagem atual é resistente a Amantadina e Rimantadina, mas suscetível a Tamiflu e Oseltamivir.

Outra defesa são as vacinas. Elas são a forma mais barata e rápida de se proteger da gripe. O problema está na agilidade de desenvolver uma vacina para o vírus certo e em tempo hábil para distribuir a população. E existe uma ordem de prioridades na vacinação. Primeiro pessoas em situação chave, como funcionários do governo, médicos, depois pessoas mais suscetíveis, como idosos e crianças, e por último a população como um todo.

8 - De qualquer forma, há atitudes individuais que podem ajudar:

Lave bem as mãos, e frequentemente. Ao contrário do que se imagina, é mais fácil contrair o Influenza com um aperto de mão do que com um beijo no rosto. Se alguém resfriado espirra com a mão na frente da boca, e damos a mão a esta pessoa, podemos colocar a mão em contato com o olho e nariz, e contrair o vírus. Ou seja, lave bem as mãos, regularmente, e se estiver gripado, cubra o espirro com um lenço e jogue fora.

Evite aglomerações e locais fechados, principalmente com ar-condicionado. O Influenza dura mais tempo no ar em clima seco e frio, e um lugar fechado com ar-condicionado mistura várias pessoas em condições propícias para o vírus.